segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Cristianismo no Brasil



1Co 2:2 Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado.


Talvez o grande problema do cristianismo no Brasil seja a falta do evangelho, ou se há algo dele talvez esteja diluído em alguma mistura. Isso pode estar afetando tanto a nossa ortodoxia (Conjunto de doutrinas, credos e Confissões) quanto a nossa ortopraxia (doutrina Prática baseada na ortodoxia). Com isso o ensino ministrado dentro do corpo se torna fraco ou omisso, as ações se tornam estritamente internas ou quando públicas são tímidas ou sem relevância.
Não é simplesmente falta de conhecimento, é falta de Experiência com o Evangelho!
Dificilmente poderemos repetir o que houve em 1536 em Genebra, que foi consideravelmente influenciada pelo protestantismo e os princípios da reforma, onde o Evangelho exerceu grande poder na política, na sociedade e comércio. Não sustento que poderíamos voltar a esses tempos, mas que, é consequência evidente que o evangelho promove avanço social, e na sua ausência o que aflora é a corrupção e degradação social.
Nossa sociedade atual está cheia de cicatrizes e marcas feitas por uma triste experiência com um falso evangelho, um evangelho sem verdade, sem poder e sem o propósito de glorificar a Deus. Com isso vivemos em uma época onde, o que é comum não é o correto e o que é correto não é conveniente; a justiça foi deturpada.
Somos um pais onde a grande maioria é cristão, mas boa parte do que vivemos hoje com relação as injustiças e corrupção, é fruto de um falso evangelho ou de um evangelho diluído e ralo.
O Evangelho não tem como foco uma restruturação social e política, mas em promover a transformação de vidas. Conforme Paulo afirma, que ele é o poder de Deus para a salvação. A sociedade é composta por indivíduos e se alguns desses forem pessoas transformadas, cada um enxergará o mundo, a política, a economia, a sociedade da ótica do evangelho, o que por sua vez influenciará tudo a sua volta.
Um dos efeitos do evangelho é um claro contraste entre o que é Justiça e o que é Justiça baseada na atual relativização de princípios. O evangelho como mencionei, não tem foco em reestruturar a sociedade, porém, ele ressalta e estabelece os pilares da verdade e da Justiça, criando assim uma distinção entre o que é certo e o que é errado. Nem todos irão aceitar o que é certo, mas estes estarão cientes que o que escolheram é de fato errado. Eles não acharão que o mal é uma coisa boa e nem o que é bom como uma coisa má.
Vivemos em um tempo semelhante ao que viveu George Whitefield, a apatia dominava os púlpitos e o evangelho era frio. Foi neste contexto onde Whitefield chama as pessoas e até pastores a nascerem de novo, desafiadora e ousada era a mensagem desse homem. Em nossos tempos vemos um fervor frio, onde grande parte do que é promovido na igreja é oferecido majoritariamente para aqueles que “Pagam os Dízimos e Ofertas”, negligenciando assim a mais vital missão da igreja: Pregar o evangelho.
 Por que a “igreja” de hoje não prega o evangelho com poder? Talvez por que ela mesma não foi alcançada pelo verdadeiro evangelho. Quanto mais Conhecemos do evangelho e o experimentamos mais nos damos a propagá-lo, por que a boca fala do que o coração está cheio.

Nenhum comentário: